Espetáculo premiado retorna à Salvador

Depois de participar do Festival Cena Contemporânea Internacional de Brasília, o Coletivo Coato retorna à Salvador com o espetáculo premiado no Festival Céu: “Eu é outro – ensaio sobre fronteiras”. As apresentações acontecem no Teatro Vila Velha espaço onde o coletivo é grupo residente.

Quando: 13 a 16 de setembro, quinta a sábado 20hrs, domingo as 20hrs.

Quanto: R$ 20/10.

A imagem pode conter: 1 pessoa, dançando, tocando um instrumento musical, no palco, barba e sapatos

 “Eu é outro, ensaio sobre fronteiras”, estreou em 2017, a partir de uma residência artística com a Companhia Phila 7, em São Paulo, e já participou do Feverestival em Campinas- SP,  II Felt em Santo André- SP, Modos de existir 2017, Filte Bahia 2017,  Fiac 2017 e Céu 2017.

A obra reflete sobre a percepção e reformulação do corpo como coletivo/organismo/integrado, dentro de um todo. Esse organismo atravessa algumas questões fronteiriças geradas pelas relações com outros organismos e repensa sobre o incômodo de estar junto. Uma ficção possível a ser reconfigurada, dialogada sobre as possibilidades de aproximação e espelhamento. Uma tentativa de aproximação entre o EU OUTRO EU NÓS.

 

Atenciosamente Coato Coletivo.

Residência no Teatro Vila Velha

A partir do primeiro semestre de 2018, o Coato tornou-se coletivo residente do Teatro Vila Velha. Mais um passo, na nossa história enquanto grupo. Estaremos colaborando na produção das atividades realizadas no teatro, realizando apresentações do nosso repertório e também pesquisando em sala de ensaio. 

Em breve novidades. 

 

Gratidão pela visita. 

Clique em agenda, para saber mais. 

Abril O CORPO e o que ele pode manifestar?

Durante o mês de Abril 2018, o Teatro Gamboa em parceria com o Coletivo Coato, realizam o Abril O CORPO, um inciativa com o intuito de movimentar o mês de abril de 2018 com propostas de vários artistas com seus corpos manifestos. Como já anunciaram na chamada virtual ” É mês de dança no Gamboa”, e para além, teremos também shows aos domingos, leitura performática, lançamentos de livros, espetáculos de dança com mediação tecnológica, e muito mais… confira a programação.

29542346_1959345517471973_8847623740644472262_n

mais detalhes: http://www.teatrogamboanova.com.br/agenda-lista-mes.php

Feverestival 2018

O coletivo Coato participou do 14° Feverestival em Campinas – São Paulo, com o espetáculo Eu é outro – ensaio sobre fronteiras. Fizemos duas apresentações no Teatro Castro Mendes, localizado na Praça Correa de Lemos. Uma 18/fev | 18hs e outra 20/fev | 20h30.

Durante o Festival nós também fizemos parte da atividade reflexiva, Quem somos outro? sob provocação de Eduardo Kawamura. Onde dialogamos nós do Coato e o Grupo Pavilhão Magnólia (Ceará) sobre questões relacionadas a alteridade, inclusão, como os grupos pensam teatro para a juventude e trajetória dos coletivos.

Fotos:  Gabriella Zanardi – Campinas SP

FILTE BAHIA 2017

O coletivo Coato participa do Festival Latino Americano de Teatro da Bahia 2017, cuja temática deste ano perpassa pelas fronteiras.  Este Festival vem trazendo artistas cênicxs latinos dos mais diversos que vem apresentando seus trabalhos, suas metodologias enquanto artistas, bem como reflexões sobre nossa humanidade. O continente do qual somos parte, ou melhor estamos dentro, América Latina, é gigante, milhões de pessoas povoam e existem em paralelo a nosso país. Por isso, é mais do que necessário dialogar- andar fora do nosso circulo, para pensar além das fronteiras tanto geográfica quanto do pensamento porque este é um problema de origem humana. Nós do  “Eu é outro – ensaio sobre fronteiras” estamos contentes de fazer parte/dentro desta iniciativa que já completa 10 anos e sempre possibilita muitas trocas entre humanxs-artistas.

Confira a programação completa no site:

https://www.filte.com.br/

“Eu é outro – ensaio sobre fronteiras”

Salvador – Bahia

Horário: 19 h

Gregório de Mattos

Classificação: 14 anos

SINOPSE

Eu é Outro deseja refletir sobre a percepção do corpo como coletivo/organismo/integrado, é um manifesto sobre as distâncias e a necessidade de estar perto, (se) atravessar, (se) conectar. Uma tentativa de aproximação entre as partes interessadas. Quando ser organismo, atravessa questões fronteiriças geradas pelas relações com outros organismos, e repensa sobre as possibilidades de se estar juntes. Eu é um Outro, já nos revelava Sartre. Uma experiência imagética e telemática sobre as fronteiras, sendo um convite a olhar para o outro. EU é uma ficção possível a ser reconfigurada, dialogada sobre as possibilidades de aproximação e espelhamento, pois este EU revela-se parte experimentada do OUTRO, a presença desse OUTRO defini parte do que é esse EU. Uma tentativa de aproximação entre o EU OUTRO EU NÓS. Assim, será necessário respirarmos juntos para começarmos a entender o OUTRO que somos NÓS.

FICHA TÉCNICA

Encenação/Provocação: Marcus Lobo

Direção Visual: Giovani Rufino

Operação de Câmeras ao vivo: Bernardo Oliveira

Co-Criadores: Danilo Lima, Ixchel Castro, Jamile Cazumbá, Mirela

Gonzalez, Natielly Santos, Simone Portugal, Thiago Cohen, Ana Brandão.

Musicalidade da cena: Bernardo Santos, Ixchel Castro, Jamile Cazumbá,

Mirela Gonzalez

Preparação Telemática: Ivani Santana

Preparação Corporal: Danilo Lima e Thiago Cohen

Tramaturgia: Ixchel Castro, Simone Portugal, Marcus Lobo, Rubens Velloso

Musicalidade da Cena: Bernardo Santos, Jamile Cazumbá e Mirela

Gonzalez

Iluminação e Execução: Ana Brandão e Marcus Lobo

Concepção Cenográfica: COATO

Execução Cenográfica: José da Hora

Produção: COATO

Instalação: Bernardo Oliveira

Criação compartilhada com Grupo PHILA7 – SP e GP Poéticas Tecnológicas

– BA

Modos de Existir 2017

De 17 a 19 de agosto acontece o evento Modos de existir- Módulo 7: Dança e(m) Intermidialidades – Multimeios em dança. O coletivo Coato estará na programação com  “Eu é outro – ensaio sobre fronteiras” .  Quando? 19 de agosto de 2017 – 21 horas.

Segundo o site do Sesc Santo Amaro – São Paulo. Serão (Sic). “Espetáculos, intervenções e encontros que utilizam diversas mídias marcam a sétima edição do Modos de Existir, projeto que discute as várias maneiras da dança existir e de habitar o espaço cultural. 

Confira:

https://www.sescsp.org.br/programacao/129360_EU+E+OUTRO+COM+O+COLETIVO+COATO+BA

Programação completa.

https://www.sescsp.org.br/online/artigo/11179_MODOS+DE+EXISTIR+CHEGA+A+SUA+SETIMA+EDICAO+NO+SESC+SANTO+AMARO

 

 Coato - Ato de agir junto

 

O coletivo de artes cênicas, trabalha em processo criativo a partir de temáticas pensadas em conjunto. Abordagens sociais, históricas e políticas, que reflitam o contemporâneo no qual somos parte.

Em metodologia de criação colaborativa, aois coatos  investigam a performatividade na cena junto ao uso de vídeo / imagem. Estuda a presença silícica e carbônica para elaboração das obras. Deixam sempre o espaço aberto para o acontecimento-acaso, aprendizado com a prática.